terça-feira, abril 20, 2010

DOS MEUS GRANDES AMORES - VOVÓ ERMELINDA



Dos meus grandes amores, minha avó materna Ermelinda era e é aquela pessoa que me dá muito prazer em falar.  
 Silenciosa, introspectiva, mas o que mais ela sabia fazer era se doar.  
Tenho muitas saudades, enormes saudades dela e dos seus bolinhos de arroz. Eram excepcionais. Parecidos como esses aí da foto, que fiz hoje.



O único tempero que havia na fazenda era salsa e cebolinha verde. E os dela tinham o aroma da cebolinha colhida na hora. Tento fazê-los iguais, mas não chego no mesmo gosto deles. Os dela eram compridos e roliços. Os meus de hoje ficaram, no visual, muito parecidos. Só não ficaram no gosto porque pus Fondor e  um tablete de caldo de galinha. Percebam porque a comida autêntica, saborosa, feita com carinho fica entranhada na memória gustativa e você nunca mais esquece?
Não havia nada artificial. Tudo era puro, até a pessoa que os fazia. A cor deles depois de fritos era diferente, com um dourado mais encorpado, talvez porque eram fritos com gordura pura de porco.Vovó passava o arroz numa máquina de moer carne e a cebolinha verde ia junto. Como eles eram gostosos! Eu não lhe falava, mas ela me fazia completamente feliz. Falarei mais dela em outra ocasião,certamente.
Para fazer os bolinhos de arroz compridinhos, basta por no liquidificador, um pouco  de leite mais ou menos 2 xícaras, um ovo, uma pitada de sal e bata para misturá-los. Depois coloque sobras de arroz. Não  coloque tudo de vez, senão o liquidificador pára. Vá aos poucos, com carinho. Quando o liquidificador quase já não vira mais a massa, tire-a colocando-a numa tigela. 
Acrescente agora a farinha, aos poucos e uma colherzinha de chá de fermento em pó , até que você consiga enrolá-los com facilidade. Frite-os até que  fiquem douradinhos.
Para comê-los, molhinho de pimenta vermelha, caseiro. Os meus filhos e neta, lotam de catchup (a praga dos salgadinhos) e mostarda. Ah! vó Ermelinda! Quantas saudades!
Esse foi o meu segundo post desde a criação desse blog.
Hoje eu o estou reeditando por ser amanhã o "Dia dos Avós".

A Igreja faz memória de Santa Ana e São Joaquim, avós de Jesus.



Vovó Ermelinda, meu lindo exemplo!

Um comentário:

Raïssa Rezende disse...

Eu beeeeeem que tentei fazê-los uma vez.... mas não deu muito certo... =(