sexta-feira, agosto 06, 2010

MINHA HOMENAGEM AO PAI QUE EU NÃO CONHECI: MEU PAI GABRIEL


Segundo relatos de minha amada mãe e de tia Magnólia, irmã dele, meu pai era meio que diferente para os padrões das pessoas que moravam naquele lugarejo, na época em que ele viveu. Isto porque ele era um idealista, sonhador, muito romântico. Era músico nato. Tocava qualquer instrumento só de ouví-los. Ele formou uma banda no vilarejinho onde ele morava (e só silenciou com a sua morte) e que eu nasci. Ah! Ele adorava fazer serenatas e tocar nos bailes. Fazia também teatrinho de sombras e uma espécie de filminho num cinema improvisado por ele. Isso era incrível, pois lá só existia italianos sisudos, sérios, bigodudos e bravos. Esses italianos não gostavam da família espanhola do meu avô e proibiram minha mãe de namorá-lo. Eles venceram, mas namoraram por 7 anos e ficaram juntos, após o casamento por mais ou menos um ou dois anos. Minha mãe ficou viúva com 21 anos. Meu pai tinha fascinação por música. Daí também a minha. Chegou a compor um dobrado, sem ter tido aulas de músicas. Me lembro dos cadernos de música dele. Minha mãe os guardava com tanto apreço como se fosse ele, pois muito jovem ele morreu e eu só tinha 8 meses de vida. Seu nome era Gabriel. Ele adorava minha mãe e a Virgem Maria, tanto que meu nome é Maria Luiza porque ele quis homenagear Nossa Senhora e minha mãe. Quando minha mãe ficou grávida, ele começou a sonhar comigo, porque ele queria uma menina e sonhava comigo indo para a escola com um laçarote engomado na cabeça, uniforme de saia pregueada azul, meias e blusa branquinha. Tão zeloso, por ocasião do parto ele chamou um médico e minha nona italiana ficou irada, de mal dele porque ela era a parteira da redondeza e ninguém chamava médico.Dizia minha mãe que ele era por demais carinhoso comigo e quando ela ia me por no berço, ele corria e alisava bem a roupa da cama. Ele também me levava ao cinema. Era outra paixão dele. Lá ele ia, sentando-se na primeira fileira e eu era passada de mão em mão, pois diziam que além de ser lindinha, com uma vasta cabeleira eu era o único bebê a estar num cinema e todos queriam me por no colo, daí ser passada pelas fileiras de mão em mão. Ele era muito humilde, mas após casar ele pintou a casa de branquinho, as janelas de azul e exigiu cortinas nelas. Ele adorava o belo, como eu.Tenho ainda hoje um criado-mudo pertencente ao jogo de quarto que ele comprou. Uma época atrás, cortamos os pesinhos  dele, depoi fiz uma pátina nele para combinar com os móveis da minha filha e agora da minha neta. Tenho certeza que ele seria o pai perfeito. Que eu teria tido uma vida maravilhosa com ele. Hoje, minha mãe e meu Tony, certamente estão lá no céu,ao lado dele torcendo e orando muito por mim, para que eu não sofra tanto a falta deles.
Olha aqui o criado-mudo que ele comprou.

4 comentários:

Regina Murbach disse...

É sempre bom recordar. Muito bonito a lembrança que ficou em seu coração do seu Pai. Como diz no bolg ele com certeza era uma pessoa especial, assim como você, muito sensível e amorosa. bjs. Regina

Almas Castelos disse...

Seu pai foi um grande homem. Devia ter sido uma pessoa muito inteligente por tocar qualquer instrumento musical "de ouvido". Tinha dom para a harmonia. Pena que ele não teve um longo convívio com voce. Mas com certeza ele deve estar agora junto de Deus e muito orgulhoso de sua filha. Há um ditado que diz: "Se quiser conhecer o pai, conhecei a filha."... Parabéns por essa linda homenagem ao qual me junto para dizer "quão grande é a missão de Pai". Parabéns.

~Ana Paula~A Católica disse...

Bloggueira Maria Luiza,
Saudações de Belo Horizonte!!

Que texto mais LINDO!
Um dos mais bonitos que já li na Blogosfera.

Que Deus a abençoe!

Pense assim. Um pedaço importante do seu pai está bem vivo: em você, na sua filha e, agora, na sua neta. Ele vive, se perpetua em vocês!

Quando a saudade apertar, a saudade de não ter convivido ao longo dos anos com ele, dê um forte abraço em si mesma: como ele está em você, será como abraçá-lo também!

Saúde e Paz!!
A você e a Linda família que formou!
(Certamente, o Gabriel teria MUITO ORGULHO de você!)

Silvia disse...

Nossa, Maria Luiza, que linda história! que homem sensível, envolvente, dá pra ver, então, de quem vc herdou suas sensibilidades e dons artísticos e estéticos!...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...