terça-feira, setembro 21, 2010

DIA DA ÁRVORE - ACHADO EM E-MAIL - IX

Texto: Paulo Roberto Gaefke


Dia da Árvore

Esta noite, eu tive um sonho diferente, sonhei que estava em um grande bosque e
caminhava por uma pradaria verde sem fim. Cada passo que eu dava encontrava uma árvore enorme com um retrato de uma pessoa que já havia passado pela minha vida. No início, foi difícil lembrar de alguns rostos. Eram pessoas que haviam participado da minha infância e eu não tinha notícias há muitos anos, mas como num velho filme, as imagens
iam passando diante dos meus olhos conforme eu me aproximava de cada árvore. Fui percebendo que conforme eu avançava, as pessoas iam mudando de acordo com a minha idade, era realmente uma "exposição do meu passado", onde cada árvore representava uma etapa da minha vida. Confesso que foi delicioso recordar a emoção do meu primeiro amor, naquela árvore onde havia a foto da minha primeira namorada, lembrei-me da inocência e da pureza daquele amor que eu tremi tanto para conquistar. Fui andando, quase que empurrado por mão invisível, e percebi que já estava ficando adulto.
As árvores já não eram tão verdes, o tempo já não era tão ensolarado, mas, mesmo assim tive prazer de relembrar alguns bons momentos como as formaturas, os amigos do Colégio,
professores, a faculdade, o casamento...
Na árvore do primeiro filho, eu chorei de emoção, recordando a alegria de trazer a vida. Mas, na próxima fileira de árvores li a inscrição:
"aqueles que partiram", e uma atrás da outra, trazia retratos dos meus entes queridos que faleceram e deixaram um buraco enorme na minha vida. Amigos, amigas, pais, tios, avós, uma recordação ligeira de cada um, um toque no mais profundo sentimento da minha alma,
que me arrancou lágrimas emocionadas.
Logo depois, deparei-me com um charco horroroso, meus pés afundavam em lama fétida e barrenta, ali, só haviam árvores secas, e para minha surpresa, retratos das pessoas que eu tinha ferido ou magoado por algum motivo.
Retratos que eu não tinha coragem de encarar os olhos. Alguns, eram pessoas que haviam me ferido profundamente. Pessoas que me enganaram, e no meu entendimento, haviam me traído. Nem raiva, nem ódio, nem nada, só vergonha eu sentia. Como reparar essa árvores?
Como fazê-las renascer?
Como acabar com aquelas mágoas?
Para aquelas que eu julgava que me fizeram mal, eu poderia perdoá-las ali mesmo de todo o meu coração, mas e aquelas que me queriam mal?
A resposta estava logo abaixo de cada retrato:
"Aqui está uma árvore seca na sua história, para fazê-lá renascer é preciso o adubo do perdão, a vitamina do amor, a energia da alegria, o sol da sinceridade, o húmus da ,misericórdia. Portanto, dobre os joelhos e ore pedindo ao "Criador de Tudo" para trazer nova vida a essa árvore."
Entendi então que para florescer a árvore da vida precisamos retirar os galhos podres da nossa visão mesquinha e fazer amigos por onde passarmos.
Se alguém ficar magoado com nossas atitudes, ou nos magoarmos com quer que seja, o perdão é a única solução, e para aprender a perdoar, a oração é o caminho seguro que conduz a vida eterna. Caminhe em paz neste dia, por entre as árvores da sua vida.
Que ela seja abençoada e cheia de frutos.


( A foto é da praça central da minha cidade)
Maria Luiza Saes de Rezende

3 comentários:

Provance Home Banho disse...

Oieeeeeee,

Antes de tudo...que arvore mais linda , um sonho de tão bela !!Saber perdoar é um das grandes dificuldades da vida mas com certeza o melhor caminho !!
Parabéns pelo post , dezzzzzzzzzzzzzzzzzz...amei
Bjssssssssssssssssss

calma que estou com pressa disse...

oi Maria Luiza- que ipê amarelo lindo- o símbolo do nosso Brasil!
tu mora aqui em Minas? porque aqui nesta epoca - onde se olha tem este amarelo lindo misturado com o verde- aqui é proibido derrubar ipê e mais alguns tipo de arvores do cerrado - e como estão sendo construídos muitos condominios luxuosos- o povo nem quer saber tira mesmo- eles achaam feia estas plantas do cerrado como o pequi por exemplo- eles varrem a terra - constroem suas belas mansões e depois contratam alguém pra fazer paisagismo - e se acham!
adorei teu texto -sonho-
o que chamou a atenção foi a terra lamacenta justamente onde as pessoas tinham te machucado de alguma maneira-
é o perdão é dificil- se é coisinha de amigas - eu gosto de esclarecer e depois deleto, mas tem coisas imperdoaveis- eu deixo a pessoa prá lá - e sinceramente eu rezo por mim, pra me dar a luz de perceber que quem são meus amigos e quem são os que chamo amigos vampirescos que se aproveitam da minha bondade, da minha disponibilidade, adoro ajudar, mas tem pessoas que sacam isto e te sugam , eu demoro pra perceber - mas quando percebo - pode me esquecer- isto não é amizade!
e quanto a frase - adorei - oh e não é só o diabo que fala isto - tem muita gente que deve pensar isto quando abro as janelas de casa- porque sou daquelas que brigo pelo lixo na rua, lutei pela reciclagem total no bairro- eu sou daquelas pessoas que incomodam, mas da minha maneira, querendo melhorar - querendo conscientizar- e tem gente que não tem jeito !
e quanto ao tue móvel - me manda a foto-
meu email
luciaklein@oi.com.br
vejo com umas amigas que também gostam destas "velharias" como muitas chamam - eu eu adorooo
bjs

Kunti/Elza Ghetti Zerbatto disse...

Oi Maria Luiza!
Ainda não conhecia essa postagem e amei!
Uma linda e profunda lição de vida.
um feliz fim de semana para ti.
abração com carinho