sexta-feira, janeiro 14, 2011

VOCÊ SOFRE DE 'NORMOSE'?


Entrevista do professor Hermógenes, 86 anos, sobre uma palavra inventada por ele, que me pareceu muito procedente.
Ele disse que o ser humano está sofrendo de 'normose', a doença do ser normal.
Todo o mundo quer se encaixar num padrão. Só que o padrão propagado não é fácil de se alcançar.
O sujeito 'normal' é magro, alegre, belo, sociável e bem sucedido.
Bebe socialmente, está sempre de bem com a vida, não pode parecer de forma alguma que está passando por algum problema.


Quem não se 'normaliza', quem não se encaixa nesses padrões, acaba adoecendo.
A angústia de não ser o que os outros esperam de nós gera bulimias, depressões, síndromes do pânico, e outras manifestações de não enquadramento.
A pergunta a ser feita é: quem espera o quê de nós?
Quem são esses ditadores de comportamento a quem estamos autorizando tanto poder sobre nossas vidas?
Eles não existem. Nenhum João, Zé ou Ana bate à sua porta exigindo que você seja assim ou  assado.
Quem nos exige é uma coletividade abstrata que ganha "presença" através de modelos de comportamento divulgados. Só que não existe lei que obrigue você a ser do mesmo jeito que todos, seja lá quem for todos.
Melhor se preocupar em ser você mesmo.
A 'normose' não é brincadeira. Ela estimula a inveja, a auto-depreciação e a ânsia de querer o que não se precisa..
Você precisa de quantos pares de sapato?
Comparecer em quantas festas?
Pesar quantos quilos até o verão chegar?
Frequentar terapeuta para bater papo?
Não é necessário fazer nada disso para aprender a se desapegar de exigências fictícias.
Um pouco de auto-estima basta.
Pense nas pessoas que você mais admira: não são as que seguem todas as regras bovinamente, é sim, aquelas que desenvolveram personalidade própria e arcaram com os riscos de viver uma vida a seu modo.
Criaram o seu 'normal' e jogaram fora a fórmula, não patentearam, não passaram adiante.
O normal de cada um tem que ser original. Não adianta querer tomar para si as ilusões e desejos dos outros.

É fraude. E uma vida fraudulenta faz sofrer demais.
Eu me simpatizo cada vez mais com aqueles que lutam para remover obstáculos mentais e emocionais e a viver  de forma mais simples e sincera.
Para mim são os verdadeiros normais, porque não conseguem colocar máscaras ou simular situações.
Se parecem sofrer é porque estão sofrendo.
Se parecem sorrir é porque a alma lhes é iluminada.
Po isso, divulga o alerta: a "normose" está doutrinando erradamente muitos homens e mulheres que poderiam, se quisessem, ser bem mais autênticos e felizes.

Ser feliz é ser você mesmo, sofrendo ou sorrindo, pois esta vida é passageira e o importante é ter emoções claras e definidas.
Autor do texto: desconhecido.
Imagens: Internet
Meu comentário
Enquanto  fazia o jantar, eu meditava nisso tudo que você acabou de ler e percebi o quanto a humanidade avançou e olhe só, 56 anos de um avanço extraordiário, não é tanto tempo assim. Mas vejo essa mesma humanidade retrocedendo na busca dos valores que foram ficando por conta dessa modernidade. Uma busca na ânsia de que tudo volte a ser como era antes. E, fazendo comidinha de mãe: carne moída com batatinha e cenoura, fumegando de gostosa, cheia de cebolinha e salsinha que apanho na janela; arroz branquinho, só no alho fritinho, feijão gostosinho, senti que é na  simplicidade e na pureza  que encontramos os sabores inigualáveis da vida. Comida suculenta, que aquece seu corpo, sua alma de satisfação! Isso acalma, sacia.  Não estou radicalizando. Estou fazendo um parâmetro. Amo a modernidade também, mas procuro ter a minha mente saudável, busco o ser e não o ter.

8 comentários:

Dora Regina disse...

Cada ser é único e sempre especial...
As diferenças ampliam, enriquecem e é justamente isto tudo que deve ser valorizado.
Devemos valorizar o "ser" e não o "ter".
Um bom fim de semana!...
Beijinhos...

orvalho do ceu disse...

Oi, querida Maria Luíza
Quando usei há, um ano atrás, esse termo num Retiro, o pessoal ficou mais consciente de como nos tornamos com o dia a dia sem atenção... sem revisão de vida...
Bjs e que tudo passe logo na Região Serrana.

Felipa disse...

Faço minhas as suas palavras, querida amiga, melhor saborear uma boa comidinha sem se importar com aumento de peso, rsrs!
Pelos parâmetros "normais" eu tenho peso a mais, bem que eu gostaria de perder 5 quilos, mas por outro lado penso: tenho peso a mais pela medida de quem?! Se me sabe bem saborear uma comidinha, um docinho, se isso me faz feliz, por que não fazê-lo? Já vi gente demais morrendo, sem conseguir comer devido à doença, por isso deixei-me de dietas...
Desculpe o desabafo, às vezes sinto-me cansada e preciso de falar.
Gostei muito da sua postagem (brasileiro diz "amei" mas português apenas ama a mulher/marido e filhos, português ou gosta das coisas ou adora, mas eu só adoro a Deus e por isso digo "gosto muito") obrigada por partilhar esses tesouros que encontra.
Beijinhos

Joelma Benicio*´¯`*.¸¸.*´¯ disse...

Oi amiga, que ótimo seu post, lhe confesso que não sabia o que era nomose...relamente o mundo no dita padroes que só nos escravizam (que segue), mas precisamos tomar o cuidado para não parecermos diferentes daquilo que somose daquilo que Deus nos fez. Parabéns pela postagem, fique com Deus. Bjs

disse...

Eu com certeza sou anormal, e concordo com suas sabias palavras. Gosto do simples, gosto de ficar em silêncio, gosto mais é de viver bem do jeitinho que sou. Quando sofro é visível, quando estou feliz estou e pronto.
Seu comentário me fez refletir e muito e só tenho é que agradecer por ter te conhecido minha linda.
Beijos meus e tenha um fim de semana repleto de paz e amor.
Que Deus te abençoe sempre e sempre!

Tetê disse...

Oi Maria Luiza! Me fiz sua seguidora aqui pelo meu blog Livre Pensamento(http://livre--pensamento.blogspot.com). Concordo plenamente com suas reflexões! Tudo que passa dos limites não pode ser bom, seja até o progresso. Tive uma idéia: prá gente se visitar sempre nos dois blogs, que tal você linkar o Livre Pensamento neste e o Manancial no Alfa & Ômega? Bjks e bom final de semana! Tetê

RETIRO do ÉDEN disse...

Bela passagem por aqui...que bom ter ficado a conhecer este conceito/rótulo.
Obga. mesmo.
Um Santo Domingo
Mer e família

Rosa Maria Feijó disse...

O autor de "Normose" é a escritora gaúcha Martha Ribeiro ! Abraços.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...