terça-feira, março 15, 2011

Blogagem Coletiva - 1ª Fase - Nascimento

Bem, certamente não é a foto do nascimento, mas é uma foto que foi tirada quando eu tinha apenas 8 meses de idade, a pedido de meu pai que  internado num hospital,  não queria ficar sem me ver e não me viu mais, pois faleceu, vítima de um câncer.
Falar do meu nascimento é preciso a reedição de um post que fiz para homenageá-lo, pois, sem ele  acho que eu até cresceria  sem os pormenores do meu nascimento. Vamos lá, conhecer os dados do meu nascimento?

MINHA HOMENAGEM AO PAI QUE EU NÃO CONHECI: MEU PAI GABRIEL




Segundo relatos de minha amada mãe e de tia Magnólia, irmã dele, meu pai era meio que diferente para os padrões das pessoas que moravam naquele lugarejo, na época em que ele viveu. Isto porque ele era um idealista, sonhador, muito romântico. Era músico nato. Tocava qualquer instrumento só de ouví-los. Ele formou uma banda no vilarejinho onde ele morava (e só silenciou com a sua morte) e que eu nasci. Ah! Ele adorava fazer serenatas e tocar nos bailes. Fazia também teatrinho de sombras e uma espécie de filminho num cinema improvisado por ele. Isso era incrível, pois lá só existia italianos sisudos, sérios, bigodudos e bravos. Esses italianos não gostavam da família espanhola do meu avô e proibiram minha mãe de namorá-lo. Eles venceram, mas namoraram por 7 anos e ficaram juntos, após o casamento por mais ou menos um ou dois anos. Minha mãe ficou viúva com 21 anos. Meu pai tinha fascinação por música. Daí também a minha. Chegou a compor um dobrado, sem ter tido aulas de músicas. Me lembro dos cadernos de música dele. Minha mãe os guardava com tanto apreço como se fosse ele, pois muito jovem ele morreu e eu só tinha 8 meses de vida. Seu nome era Gabriel. Ele adorava minha mãe e a Virgem Maria, tanto que meu nome é Maria Luiza porque ele quis homenagear Nossa Senhora e minha mãe. Quando minha mãe ficou grávida, ele começou a sonhar comigo, porque ele queria uma menina e sonhava comigo indo para a escola com um laçarote engomado na cabeça, uniforme de saia pregueada azul, meias e blusa branquinha. Tão zeloso, por ocasião do parto ele chamou um médico e minha nona italiana ficou irada, de mal dele porque ela era a parteira da redondeza e ninguém chamava médico.Dizia minha mãe que ele era por demais carinhoso comigo e quando ela ia me por no berço, ele corria e alisava bem a roupa da cama. Ele também me levava ao cinema. Era outra paixão dele. Lá ele ia, sentando-se na primeira fileira e eu era passada de mão em mão, pois diziam que além de ser lindinha, com uma vasta cabeleira eu era o único bebê a estar num cinema e todos queriam me por no colo, daí ser passada pelas fileiras de mão em mão. Ele era muito humilde, mas após casar ele pintou a casa de branquinho, as janelas de azul e exigiu cortinas nelas. Ele adorava o belo, como eu.Tenho ainda hoje um criado-mudo pertencente ao jogo de quarto que ele comprou. Uma época atrás, cortamos os pesinhos dele, depois fiz uma pátina nele para combinar com os móveis da minha filha e agora ele está no quarto de minha  neta. Tenho certeza que ele seria o pai perfeito. Que eu teria tido uma vida maravilhosa com ele. Hoje, minha mãe e meu Tony, certamente estão lá no céu, ao lado dele torcendo e orando muito por mim, para que eu não sofra tanto a falta deles.
Gosto muito de lembrar do meu nascimento, pois sei que fui querida e muito desejada por ele.
Olha aqui o criado-mudo que ele comprou.




Minha mãe nunca mais veio a se casar, tal era o amor que ela tinha pelo meu pai e também ela não queria que outro ocupasse o lugar dele. Ela me criou com muito desvelo e amor.
Considero meu nascimento muito especial, por ele, meu pai Gabriel!
Considero a idéia para esta blogagem de Rosélia Bezerra do Espiritual IdadeRute, do Publicar para Partilhar e NacoZinha, genial e muito significativa. Obrigada!

36 comentários:

Lucinha Cullen's Garden and Cia disse...

Maria Luiza,

Muito emocionante a sua história.
Você nasceu de um grande amor, consequencia disso é a pessoa maravilhosa que você é.
Você foi muito amada por um pai que nem conheceu, desde o ventre de sua mãe.
Sua mensagem me emocionou muito. Assunto de família mexe demais com meu interior. Preciso ser curada de muita coisa, ainda.
Lindas fotos. Seus pais eram simplesmente lindos.
Beijos

Joelma Benicio*´¯`*.¸¸.*´¯ disse...

Oi amiga, a paz.

Muitos são agraciados neste mundo porque foram gerados no amor e para o amor. Assim como o Senhor nos fez por amor e para o amor. Taí o segredo de sua docilidade e sensibilidade, pois só quem foi amada sabe amar. Ah se todos tivessem uma história linda como a sua...com certeza o mundo seria outro, esse mundo que precisa de famílias restauradas para o amor, estruturadas no amor para gerar filhos no amor. O amor resume tudo, não é mesmo?

Que o Senhor abençoe sua vida e de toda sua família. Bjs

Ah temos algo em comum... um Gabriel em nossas vidas, meu filho (8 anos) chama-se Gabriel.

Salve Maria.

Marli Borges disse...

Querida amiga,
Muito linda tua história. Gostei demais de saber desses detalhes que você colocou lindamente no post. Tua participação na blogagem está maravilhosa. Parabéns.
Bjsssssss

Rachel disse...

Olá Maria Luísa, fiquei muito emocionada com seu post, imagino o que foi para você escrevê-lo!
Belíssima participação na blogagem...Parabéns!
Bjuss!!!

Gina disse...

Maria Luiza,
Pois eu considero o seu relato muito emocionante.
Teve uma curta experiência com seu pai e não teria memória para recordar, pois ocorreu em tão tenra idade. Mas o legado deixado por ele e a profundidade da relação dele com você e sua mãe permitem que hoje você tenha tanto para falar desse breve contato.
Muito bom mesmo ler relatos assim.
Tenha um ótimo dia!

orvalho do ceu disse...

Olá, Maria Luíza querida
Meu desejo de hoje é que uma chuva de bênçãos seja derramada sobre VC e outra chuva de pétalas de rosas orvalhadas...

Menina, que delícia de post!!!
Fiz até uma contemplação... fiquei vendo seu papai alisar seus lencoizinhos... sua mamãe ser amada pelo papai com fino trato... seus olhinhos brilhantes (como até hoje) de tanto amor ao redor...
E o criado mudo???
Simplesmente encantador... se ele falasse poderia atestar também tanto amor que presenciou desde bebezinha...
Parabéns por ter sido tão amada... isso faz falta a uma grande maioria de bebês no mundo inteiro...
Foi muito doce o seu post... estou feliz no dia de hoje!!!

Carinhos fraternos em forma de orvalho sôbre pétalas de rosas...

Uma santa e abençoada Quaresma para VC.
Bjs natalícios

Raïssa Rezende disse...

A história do vô é bem linda mesmo... é uma pena que ele não pôde fazer parte de nossas vidas, tenho certeza que ele teria sido o melhor avô do mundo e acho que o único que entenderia e apoiaria os meus sonhos.... A vó sempre me falava dele com tanto carinho!

Bjooo <3

Mari Amorim disse...

Parabéns por sua participação!Assim vamos interagindo através dessa coletiva,o qual tb participo,
Boas energias,paz,saúde,e muito amor
Bjs
Mari

" ESSÊNCIA ESTELAR MAYA " disse...

Olá querida,

Que história emocionante!!!
Seu Pai era um homem sensível, carinhoso e muito especial.
Que pessoa Maravilhosa deveria ser.
Daquelas pessoas que você chega perto e se contagia com tanta Energia de Luz e Amor.
Meu marido tem a mesma paixão que ele: a música.
Ele também toca muitos instrumentos só de ouví-los.
Acho que já é um dom que o espírito traz com ele.
Parabéns pela postagem, foi de arrepiar!!!
Um grande beijo em seu coração!

Varanda Azuis disse...

É lindo ler algo assim...Obrigada Maria Luiza por compartilhar a sua história que é maravilhosa e que emociona! Bjos mil prá vc minha amiga!

Lulú disse...

Olá Maria Luiza.
Linda sua história e muito cheia de amor.
Parabéns.
Beijos
Maria Luiza (Lulú)

disse...

Bom poder saber um pouquinho mais sobre você. Bom saber que você guarda lembranças tão lindas.
Também tenho muita saudades de meu pai ele como o seu, muito carinhoso e sempre feliz.
Parabéns pela história de vida!
Bjs!

Felipa disse...

Minha querida amiga Maria Luiza, já li ontem mas não comentei por falta de tempo, mas o post dedicado a seu pai eu já o tinha lido há tempos, gosto muito de bisbilhotar nos blogs das pessoas que me interessam, não leio só a 1ª página. E nessa altura, quando me tornei sua seguidora, li a maior parte das suas postagens para ficar a conhecê-la melhor, por isso sinto que a conheço e gosto muito de si.
A história de amor de seus pais é muito bonita, imagino o sofrimento de sua mãe quando o perdeu, acho que nem se consegue descrever um sofrimento assim. Mas ela teve a felicidade de ter, ainda que por pouco tempo, o que muita gente não tem nunca: um grande, um imenso amor!
E você foi uma menininha muito amada por seu pai.
Beijinhos

Anabela Jardim disse...

Fiquei emocionada com a sua história de amor. Brilhante blogagem!Obrigada pela visita. quando quiser visite meus outros blogs. será sempre benvinda.

RUTE disse...

Querida Maria Luiza,
nós é que agradecemos de coração.

Lamento muito as situações em que as crianças não conhecem os pais, ou por que morre algum, ou porque são abandonadas, ou porque o pai não assume o bébé, resultando num filho de pai incognito.

Cá em Portugal já não é possivel registar uma criança se tiver pai incógnito porque dizem que isso não existe. Resultado o tribunal está cheio de casos que obrigam o pai a fazer testes de paternidade no hospital a fiz de ver qual a relação genética, obrigando depois o individuo a dar o nome.

Eu sei que não é esse, seu caso. Mas a sua postagem lembrou-me dum caso próximo de paternidade "desconhecida".
O meu agradecimento por tão bela homenagem ao pai que vc nunca conheceu, fisicamente, mas que vive no seu pensamento.
Beijo além-mar,
Rute

LILIANE disse...

Maria Luiza
quando uma pessoa é especial nem a morte apaga o bem que ela fez.
certamente você é muito abençoada e especial, tal como seus pais.
que história linda de amor.
amei te conhecer viu.
um abraço gigante pra você.

Misturação - Ana Karla disse...

Maria Luiza, lindo nome!
Não por ser igual ao da minha mãe, mas um nome especial.
Eu também me emocionei com o relato.
Que história espetacular.
Agradeço de coração pela sua gentil visita e claro, estarei sempre por aqui.
Xeros

Raquel Leite Palladino disse...

oLÁ Maria Luiza, muito prazer em conhece-la, vc me fez chorar com essa historia, fiquei imaginando como se fosse meu pai comigo, muito lindo...venha conhecer meu cantinho tbm...abraço
RAQUEL

Flora Maria disse...

Muito linda sua história ! E vem provar que não é preciso o contato pessoal para amarmos uma pessoa.
Seu pai foi uma pessoa especial, tão especial que marcou toda a família !

Parabéns pelo emocionante texto !
Beijo

Macá disse...

Maria Luiza
Cheguei agora, vim correndo através da Blogagem Coletiva, estou um pouco cansada, já é tarde, então vou ficar um pouquinho por aqui, tudo bem?
Linda a sua história, assim como o amor de seus pais. Que bom que a sua mãe conseguiu passar pra você o bom homem que ele era.
um beijo

ⓣⓔⓡⓔⓢⓐ ⓒⓡⓘⓢⓣⓘⓝⓐ disse...

Oiee!!
Linda sua história....a gente fica super feliz qdo se descobre qdo nossos pais contam do quanto fomos desejados e somos amados.....não tem sensação mais gostosa que esta.
Td de bom pra ti
bjs♥

Luma Rosa disse...

Seu pai viveu pouco, mas parece que viveu intensamente" Sabia o que queria, tinha ideais e mais importante, soube lutar pelo seu amor! Se eu entendi bem, seu pai conheceu a sua mãe quando ela tinha 12 anos? Beijus,

chica disse...

Que linda e bem emocionate história.Gostei muito e as fotos lindas!beijs,tudo de bom,chica e foi bom te conhecer!

Paula disse...

Ena, a música também me fascina!

Obrigado pela mensagem que me deixaste. Gostei muito do teu post, uma história muito comovente!

Zilda Santiago disse...

Vixe menina!!!Esta foi a única que as lágrimas chegaram entre tantas maravilhas que li nesta coletiva maravilhosa que está nos aproximando e enriquecendo.Fiquei com saudades do seu pai,como se fosse o meu!!!Grande beijo na alma.

Renata disse...

Maria Luiza,

Retribuindo sua visita,

Me emocionei com o seu post, que bela história a sua, meus cumprimentos,

e meu abraço,

Esperando por voce outras vezes

Renata Boechat
www.eternosprazeres.blogspot.com

Bel Rech disse...

Maria Luiza...antes de chegar ao fim, já estava bem emocionada...lindo o carinho e o amor de seus pais por vc...e o amor que guarda dentro de vc...Carinhos

Cris de Sales Lobato disse...

Linda e emocionante a historia do seu nascimento e do seus pais!
Além de que, maravilhosamente bem escrita!
Um grande beijo.

Obscure Beauty disse...

Tem uma história linda e cheia de amor! Todo o mundo devia poder contar algo assim. Obrigada por partilhá-la conosco =)

beijinhos e tudo de bom!
Marta

AnaCristina disse...

Nooooooossa, q historia linda!!! E obrigada pela visita!!bjos

calma que estou com pressa disse...

oi Maria Luiza
que linda hist´roia - teu pai devia ser um pai amoroso , etua mãe se dedicou totalmente á você- isto que é história de amor -
lindo
bj
lu

Renata Boechat disse...

Olá Maria Luiza,

Meu Boechat é de origem suiça, e os meus parentes mais próximos viviam, e muitos ainda vivem na região do Rio de Janeiro e Zona da Mata de Minas Gerais, você morou ou mora por essas bandas?
Mas eu estou em Belo Horizonte, onde a família Boechat é bem numerosa nos dias de hoje!


Um abraço,
tenha um ótimo fim de semana!

soninha disse...

Menina,teu relato é lindo e emocionante.É como se você nos tomasse pela mão e nos conduzisse àquele tempo vivenciando tudo que você vivenciou.Muito lindo!bjs e que Deus continue te abençoando.

Ailime disse...

Maria Luiza,
Muito belo o amor de seus pais.
Emocionante a história de sua vida.
O seu pai, lá no céu, continua sempre velando por vós.
Um beijinho.
Ailime

Cucchiaio pieno disse...

Caríssima
Que bela homenagem, emocionei-me!
Enquanto lia passava um filminho na minha mente.
Muito obrigada por compartilhar essa linda historia de força e valores. Parabéns pela tua familia.
Abraços fraternos
Léia

Fabiana Tardochi disse...

Que linda a história da sua vida minha querida amiga.Estou emocionada e não vou conseguir dizer mais nenhuma palavra...já estou me debulhando em lágrimas.
Beijos e uma maravilhosa e abençoada semana para vc.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...