sexta-feira, abril 15, 2011

BLOGAGEM COLETIVA - 2ª FASE: A INFÂNCIA

Blogagem Coletiva - Infância
Para relembrar e entender, sugiro que dê um pulinho em: Blogagem Coletiva Fases da Vida - Nascimento .    Com a morte de meu  pai, bem sofrida, pois na sua agonia, ele ficara abraçado a ela e não permitia que ela se soltasse dele até seu  último suspiro, minha mãe com 21 anos, assustada foi morar de volta com a mãe e o irmão na fazenda. E praticamente ali, nessa fazenda eu fui crescendo rodeada de todas as minhas tias primas e primos. Uma infância inesquecível!
Lembro-me perfeitamente do bambual ali atrás. Ele era gigantesco para meu tamanho e ficava ao lado do forno de cozer pão, dos tanques para lavar roupas, pois a família era grande demais. Minha mãe era a primogênita de nove irmãos, sendo três homens e mais sete, com ela, de  mulheres. A vida dela foi de muito sofrimento, pois sendo a mais velha, ela tinha que ajudar minha avó em todos os afazeres que eram muitos.

Nesta foto ela está com seu irmão e duas irmãs. Vestiu trajes de viúva por um ano Eu não tenho mais fotos de minha infância pois eu estraguei todas.
A escola era lá na fazenda e meu tio hospedava a professsora que dormia no meu quarto também. Além das lições que a professora passava, minha mãe  me fazia decorar as tabuadas, fazer exercícios de caligrafia e mandava sim, a professora dar mais atividades em casa. Chegávamos da escola e corríamos para o pomar. Lá, eu elegi um pé de tangerinas para ser meu navio pirata, pois em cima do galho, eu me balançava como se fosse um navio e  adorava falar: "Terra à vista". Na fazenda, tinha um rio e meu tio, construiu uma máquina que beneficiava o arroz, fazia fubá e eu amava olhar para aquela gigantesca pedra , a mó, que triturava o milho que escorria fazendo o melhor e o mais puro fubá. Minha bisavó era a incumbida de nos alimentar com polenta e leite pelas manhãs. Não nos era permitido nadar, mas fugíamos para fazê-lo. Eu gostava de pescar e da turminha, eu era a única a fazê-lo. Éramos um bando alegre de crianças.  Ao entardecer, eu ficava deitada na grama, olhando para o céu para ver a primeira estrela brilhar. Na época da colheita de café íamos para o terreiro para virar o café que secava ao sol e ficávamos horas e horas procurando o "filipe"  que era um grão gêmeo de café. Era um troféu para quem o achasse. Eu não entendia porque os adultos não nos deixava andar a cavalo e eu gostava tanto! Nossa tarefa era alimentar as galinhas, recolher os ovos, ir para o paiol lotado de milho para descascar, encher os balaios e jogar para os porcos e galinhas. Gostava muito quando havia mutirões na fazenda. Era para roçar o pasto, e para muitos homens, roçando, minha avó fazia bacalhau com batatas numa panela imensa. Quando todos chegavam para o almoço, era uma alegria ao redor da comida. Havia mutirão também para tosquiar as ovelhas e eu me divertia vendo-as berrando e saindo peladinhas, tão feinhas! Ah! Quando a noite chegava, a faina não acabava, não. O rádio era ligado, nós, as meninas, sentadinhas nas cadeiras, desfiávamos a lã das ovelhas porque minha bisavó fazia acolchoados para todos da região! Ela amarrava lindas toalhas de saco, branquinhas, tecendo aquele trançado lindo nas barras. Minha avó fazia crochê e a sala sempre cheia, pois o rádio era a atração da redondeza. Daria um livro se eu fose narrar a minha infância! Crescemos fortes de caráter, de espírito confiantes em Deus, íntegros e inteiros para a vida. Minha mãe não poupou desvelos e rédeas. Lutou na máquina costurando calças para os trabalhadoes da região, ensinava também a cortar e costurar roupas, para que eu me formasse. E ela conseguiu!!! Hoje estou só, sem ela, sem meu amado esposo, mas lutando com meus filhos.


Minha família, a quem também lutei e luto copiando os moldes como minha mãe me criou. Na foto falta minha neta que estava em outro salão brincando.

Mais uma vez, o meu grande agradecimento a Rosélia do Espiritual-Idade, Nacozinha da Gina e Rute do Publicar para Partilhar, que me proporcionaram esse momento tão lindo de recordação!


21 comentários:

disse...

Sua infância com certeza lhe traz encantadoras recordações e muita saudades dos que já se foram. Os bons exemplos são para ser seguidos e literalmente copiados e sua mãe deixou sua marca de uma Mãe exemplar.
Bom relembrar um passado tão lindo.
Parabéns por essa blogagem!
Bjs meus minha linda e querida amiga!

orvalho do ceu disse...

Minha querida Maria Luíza

"Então ficaram todas as crianças a sua INFÂNCIA a passar seus anéis azuis de orvalho".

Menina, que relato detalhado e fiel aos sentimentos!!!
Vivi também esse luto na infância, fechado e de preto... quando morreu minha avó materna...
Eu também decorei tabuada... fiz caligrafia... gostava de tudo isso... acredita??? Adorava estudar...
Imagino sua felicidade em poder dormir ao lado de sua professora... pra mim seria uma bênção!!!
Minha mãe não me permitia essa intimidade com a professora(tinha ciúme)...
Gosto muito até hoje da vida rural... passei férias na Fazenda também de parentes no ES...

Hoje, o meu desejo de paz e alegria é para vcs que:

"...estendem o seu conceito
de vida,
e a veem na gota de orvalho".
(Lice)

Obrigada pela sua linda participação...

Orvalho do Céu é uma “Chuva de Néctar da Verdade”... ou Palavras de Deus...

É isso que lhe desejo nesse tempo que estamos entrando...
Uma Abençoada Semana Santa e uma Páscoa extremamente feliz!!!
Bjs de paz e achocolatados

Dora Regina disse...

Maria Luiza, obrigada por sua visita e comentário, como está sendo gratificante a BCFV, além de relembrarmos o nosso passado, as nossas histórias, estamos conhecendo um pouco dos nossos amigos.
Linda sua participação!
Um abraço desejando um lindo fim de semana!!

Gina disse...

Maria Luiza,
Você tirou as palavras da minha boca. Com tanta experiência interessante vivida, com certeza sua vida daria um livro!
Adorei o "terra à vista" no pé de tangerina...rs!!!
Estou aqui sorrindo lendo tudo isso.
Tenha um ótimo final de semana!

Rachel disse...

Maria Luisa, agradeço o recadinho tão gentil, espero você mais vezes no meu cantinho, ok?!

Li seu texto todinho com uma emoção enorme, tive uma infância parecida com a sua, somos 7 irmãs e minha mãe se desdobrava para dar conta de tanta peraltice...tempinho de muitas dificuldades mas ao mesmo tempo de muita alegria, já não tenho minha mãe e sinto muito a falta dela!
Linda participação, Parabéns!
Bjuss!!!

Lucinhashomeandgarden disse...

Maria Luiza,

Só falta você passar o livro da sua vida para o papel. Sua história é muito profunda.
Já começando da viuvez de sua mãe, tão jovem, que lutou pra lhe dar uma vida digna.
Assim você continuou com sua família, que é linda.
Mas eu tive que rir: Terra à Vista".kkkkk que terra era essa que você tanto via..kkkk
Somos abençoadas, pois tivemos infâncias com amor, respeito e carinho. Diferente das nossas crianças de hoje. Só a misericórdia!
Essa blogagem coletiva é muito legal, pois eu posso rir e chorar ao mesmo tempo.
Beijos

Felipa disse...

Amiga, quando você fala no pé de tangerina lembra o Zézé, de "Meu pé de laranja lima", o meu livro favorito.
Sua infância parece ter sido feliz, apesar de tudo. A amizade dos primos e primas é muito importante para a formação de uma criança, eu acho, e você teve muita sorte por ter podido usufruir desse convívio.
Beijinhos

Socorro Melo disse...

Martia Luiza,

É um grande prazer estar aqui. Também participo da BCFV.
Muito interessante sua história. Muito rica de detalhes. Gostei da descrição da fazenda, dos trabalhos, das brincadeiras, imaginei-me lá também, viajei... Excelente participação.

GRANDE abraço
Socorro Melo

Bel Rech disse...

Que alegria,eu não morava no campo, mas vivencieie muito esses afazeres com meus primos,saudade deste tempo...Paz e bem

AnaCristina disse...

Parabens pela postagem!! Adorei a parte de deitar na grama e esperar a primeira estrela brilhar!!! Tambem estou na blogagem coletiva fases da vida, infancia...da uma passadinha no meu post: http://anacristinap.blogspot.com/2011/04/blogagem-coletiva-fases-da-vida.html
bjo
p.s.: AMO elvis!!!!

RUTE disse...

Maria Luzia,
gostei muito do seu texto.
Mas fixei-me principalmente nesta frase para reflexão:
«Lembro-me perfeitamente do bambual ali atrás. Ele era gigantesco para meu tamanho(...)»

de imediato associei ao fato de nossa prespetiva do mundo e da vida mudar com o "tamanho". Não só o crescimento está relacionado com evolução, como o estar mais alto permite ter uma visão mais alargada.

Recordei ainda uma frase de Fernando Pessoa:
«Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não do tamanho da minha altura...»

Não sei se me faço entender :)
Beijo transatlantico.
Rute

Mari Amorim disse...

desculpe-me pelo atraso,mas com essa fantástica coletiva e interação,com sua postagem tão contudente saio com meu aprendizado em dia!
Obrigada pelo carinho da visita
Boas energias,paz,saúde,sucesso!
Mari

Luma Rosa disse...

Lembrei demais da minhas férias na fazenda, principalmente de poder deitar na grama e esperar a primeira estrela aparecer e logo seria chamada para dentro. Fiquei curiosa pra saber onde se localizava essa fazenda - não sei se todas possuem a mesma rotina - mas tudo muito parecido com as atividades que lembro.
Sua família é linda!! Boa blogagem! Beijus,

Elcio Tuiribepi disse...

Oi Maria Luiza...ms que infância mao repleta de vida hein, como esquecer momentos assim? Impossível né, ainda mais qu não queremos, ao contrário, trazemos bem dentro de nós cada momento
Aqui a gente se lambuzava num pé de amora, rolava na grama da igreja , logicamente que depois a mãe soltava os bichos na gnte...rsrs...tinha mancha que não saia...rs
Muito bonita a ua postagem...a sua infância
Um abraço na alma...obrigado pela visita
Beijo, bom domingo pra vocês todos aí

Lulú disse...

Olá Maria Luiza.
Que história bonita! tem alegrias numa infância cheia de liberdade nos campos de uma fazenda, cheia de emoções e algumas tristezas porque é assim a vida.
As vezes falar do passado, renova o modo de lembrá-lo.
Obrigada pelo comentário lá na BCFV.
Beijo
Maria Luiza (Lulú)

Zilda Santiago disse...

ESTA BLOGAGEM COLETIVA NOS FAZ VIAJAR,EM VIDAS QUE NOS LEVAM ÀS NOSSAS LEMBRANÇAS!pARABÉNS PELA BLOGADA!!Bjs no coração!!!!
GOSTARIA DE DIVULGAR AQUI A PROMOÇÃO DE ANIVERSÁRIO DO MEU BLOG,QUE FEZ DOIS ANOS DIA 15.AOS AMIGOS QUE VISITAREM A PARTIR DESTA DATA AO DIA 30/04 ESTAREI SORTEANDO UM LIVRO A ESCOLHA DO GANHADOR,DENTRO DA TEMÁTICA DO SEU BLOG OU NÃO E ENVIAREI PARA QUALQUER CIDADE NO BRASIL OU NÃO.LIVRO DE VERDADE!!!

Virginia Jesus Fassarella disse...

Que história linda de vida. Fiquei emocionada de ler a sua postagem, parabéns, pela bela familia.
Maria Luiza obrigada pelas orações em intenção da saúde da minha mãe. Ela melhorou e voltou para casa. Feliz Páscoa.

Regina F.Murbach disse...

Maria Luiza à quanto anos nós nos conhecemos? Me lembro do 1º de que cheguei na Escola Jorge Callil,em 1988 (se eu estiver certa ou 89),eu à vi sentada na sala das professoras ao lado da Luirdinha. Confesso que fiquei com receio,pois vc. tão imponente com sua elegância, porte de Professora como as de antigamente. Achei que não iria me aceitar como colega pois vc. era efetiva, e eu estava começando.Mas me enganei por trás daquele porte havia uma alma tão generosa,pessoa tão carinhosa que em ensinou muito,ser melhor no que fazia e como me comportar devidamente diante de uma sala de aula.Vc. sempre me dizia:-Regina vc,é uma Professora não se esqueça disso menina!
Em sua voz sempre havia carinho e autoridade.
Essa ultima foto me lembra o 1º dia que te vi.Imponente.Obrigada por tudo, devo muito à vc.Um forte abraço com muito carinho. Regina

soninha disse...

Que delícia a tua narrativa, e as fotos são D+.bjs e muita paz neste finalzinho de páscoa e em todos os teus dias.

LILIANE disse...

Olha que interessante.
sua história me trouxe a recordação de um livro que eu li na infância.
A vida na roça nos permitia aproximar da natureza e crescer sem tantos medos não é?
Imagino a força do carater de sua mãe.
Inesquecível, né.
Querida... que esta força que recebeu ainda tão pequena continue muito viva no seu interior.
gostei muito mesmo de conhecer voce.
grande abraço.

Gina disse...

Maria Luiza,
Seu pé de tangerina foi citado no meu resumo sobre a coletiva.
http://nacozinhabrasil-gina.blogspot.com/2011/04/light-e-diet.html
Estou conhecendo com mais calma os blogs participantes.
Bom final de semana!