terça-feira, janeiro 24, 2012

SARAMAGO E EU


Hoje, logo de manhãzinha recebi a triste notícia do falecimento de Paula, 20 anos, filha de minha vizinha, vítima de acidente e prostrada em dor pensei o quanto nossa vida é efêmera.  E culminando a minha reflexão abro esse e-mail sobre um poema de Saramago, que veio de encontro ao que eu refletia. Calou-me profundamente, pois eu não o conhecia. Achei por bem postá-lo.


É breve, é pequena, a distância que separa o avô do neto.
 Feito o arado que rasga a terra, a passagem do tempo deixa sulcos na alma e no rosto.
“As viagens sucedem-se e acumulam-se como as gerações;
 Entre o neto que foste e o avô que serás, que pai terás sido?
José Saramago
A única coisa que nós temos de fato é a vida.
E com ela podemos fazer tudo, ou nada.
Pais, filhos e netos.
No fim das contas, cada um tem que caminhar com seus próprios passos.
Buscar uma experiência de significação, trilhar a senda do autoaperfeiçoamento.
A vida é um instante, um sopro.
Quantas gerações já vieram e se foram, quantas ainda virão e igualmente passarão...
Menos de uma hora de vida.
O primeiro beijo.
Há quem sustente que é o amor das mães que mantém o mundo em seu eixo.
Memórias poéticas e afetivas.
Os pequenos gestos e instantes que revestem de beleza e ternura o tempo.
Nos vagões da existência terrena, por um breve instante passeamos.
O ato de observar é a única chave que abre a porta dos mistérios.
A paisagem de fora, a vemos com os olhos de dentro.
A paisagem é um estado de alma.
Na realidade, o que vemos está em nós.
Não vemos o que vemos, vemos o que somos...
“Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara.”
Ter olhos para a beleza do céu, para a poesia das nuvens.
Cultivar a quietude do espírito como potência de transformação.
Ter um olhar capaz de discernir a beleza invisível.
A filosofia oriental nos ensina que a mais bela imagem não tem forma.
Resgatar a beleza, a poesia e a espiritualidade capazes de suavizar a nostalgia do Absoluto.
Cultivar a magia e o encantamento de se estar no mundo.
Cativar a via do Silêncio dentro de nós.
Esta existência terrena é uma oportunidade de despertarmos da letargia e do sono.
Esta existência terrena é a infância da Eternidade.
Uma oportunidade para nos aproximarmos da Pura Luz que habita nossa finitude.
Felizes os que aproveitam com sabedoria a preciosa aventura que é o existir.
Feliz o olhar capaz de discernir a beleza do invisível...

Em comoção, ainda estou!


18 comentários:

Renata Boechat disse...

"Há quem sustente que é o amor das mães que mantém o mundo em seu eixo..."
Era o que eu acabava de dizer, não exatamente com as mesmas palavras, mas com a mesma essência, para minha filha, que está comigo após um ano longe de casa...desculpe, mas nesse momento me faltam palavras...não me permito sentir a dor dessa mãe...

Boa noite!

Felipa disse...

Uma notícia muito triste, perder alguém assim tão jovem deve ser terrível para as famílias.
Resta rezar por todos, os mortos e os vivos, só o Senhor os pode confortar.

Bel Rech disse...

Olá...que triste essa situação e doloroso também para quem fica...
Esse texto diz muito...
Paz e bem

Beth/Lilás disse...

Nossa, que dor indescritível esta sua amiga está passando!
Mas, veja só como o texto do brilhante Saramago nos mostra as coisas de um modo diferente, pois na verdade o que ele quer dizer é que devemos aproveitar e nos regozijar pelo que vemos e sentimos enquanto estamos neste corpo.
Parece até uma resposta às suas, nossas, indagações.
Que o coração desta mãe seja consolado pelas palavras de amigos e de bons espíritos!
um grande beijo, carioca

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

a gente fica mto triste, sentido, qdo vemos uma pessoa partir tão jovem e em situação tão triste. Que Deus traga mta paz e luz à familia, à Paula...

Ilaine disse...

Amiga querida!
Saudades daqui!

Sim, nossa vida é um instante, um sopro - lindas palavras de Saramago. É difícil demais aceitar a perda de uma pessoa assim tão jovem como a Paula. De certa forma sei o isto significa, pois perdi meu irmão em acidente de trânsito.

Obrigada pelo carinho constante em meu blog e perdoe a demora em retribuir.

Abraço forte

RUTE disse...

Que sintonia!
Estáva lendo seu post e recebi um mail seu :)

As vidas são de fato simples passagens, oportunidades de auto-aperfeiçoamento de regresso à origem (Deus).

Donde surgimos, será para onde retornaremos.
Beijinhos.
Rute

✿ chica disse...

Lindo texto e que dor intensa e enorme essa de perder um filho...Que coisa!!!Que a mãe de Paula suporte essa provação e fique bem. beijos sentidos,chica

Carolina Lima disse...

Maria Luiza,
obrigada por sua visita e comentário no meu blog. Você sabe como nós, blogueiras, ficamos felizes com isso.

Acredito que não existe dor pior do que a dor da perda. As que acontecem inesperadamente são mais dolorosas ainda. Que Deus possa confortar o coração dessa família!

Uma excelente quarta-feira!

Abraços,
Carol
www.umblogsimples.com

Anne Lieri disse...

Ai,Maria Luiza!Que triste essa noticia!Meus sentimentos a sua vizinha!Imagino a dor dessa mãe!Um filho nunca deveria ir antes de uma mãe!Uma msg bonita e comovente!Bjs,

Anne Lieri disse...

Ai,Maria Luiza!Que triste essa noticia!Meus sentimentos a sua vizinha!Imagino a dor dessa mãe!Um filho nunca deveria ir antes de uma mãe!Uma msg bonita e comovente!Bjs,

casa de fifia disse...

olá Maria luiza
você não podia achar um texto mais apropriado para a situação.
por isso devemos tentar estar sempre em paz com a própria consciência.
porque nunca sabemos o dia nem a hora,mas sabemos que um dia vai acontecer.
bacione

Veronica Kraemer disse...

Malu querida, sinto muito...
Que Deus os conforte nesta hora tão delicada...
Este post está belíssimo e me fez refletir muito, obrigada!
Bjos
Vero

Tunin disse...

A perda sempre nos traz tristeza, quando é de filho, pode ser na idade que for, a dor é dobrada.A vida é muito rápida e não podemos perder tempo com coisas fúteis, mas com aquilo que vai nos garantir os céus.
O escrito de Saramago é muito bom!
Abraços, Maria Luíza e que o nosso bom Deus conforte o coração dessa família!

Tetê disse...

20 anos... quantos sonhos, planos,quanta vida a ser vivida... mas a vida é como uma vela acesa. A gente acende e quer que a vela queime até o final mas uma brisa pode soprar a chama e apagá-la! Que Deus a receba e console o coração de seus queridos! Não é fácil não... Bjks Tetê - Livre Pensamento

Calu disse...

Lamento muito o acontecido, como mãe e avó que sou.Rogo a Deus que dê forças à esta mãe e à família.
Foi totalmente oportuna a tua descoberta do texto de Saramago, Maria Luiza.Cada linha ressalta a brevidade da vida mas,tbém exalta suas belezas e a dávida em tê-la.

Que teu coração esteja mais confortado.
Bjos,
Calu

Néia Lambert disse...

Essa dor é a mais dolorida que uma mãe pode sentir, imagino o quanto você também está abalada, que Deus conforte a todos.

Beijos

Yasmine Lemos disse...

uma dor que não se explica.Só a mão de Deus para consolar
meu beijo