quarta-feira, fevereiro 25, 2015

Botando a cabeça para "funcionar" nº 3

Ôba, hoje é dia!
Venha participar também!
É só AQUI entrar


Essa é a imagem 


Lembra a finitude.
Sem ser lúgubre, claro.
Assim que a vi veio a palavra finitude.
Exemplo de que nada somos ou levamos!
As flores com toda a sua exuberância 
também se extinguem nas calçadas, 
dando a elas a sua última beleza.
Eu, particularmente gosto de ver uma calçada
 forrada de flores no seu último suspiro.
Assim, no chão, caídas ainda brilham, 
enfeitam, perfumam e 
alegram os transeuntes ou não!
Há quem repare, veem a beleza;
há os que somente passam apressados.
Sou a que repara tudo, sem pressa! 
Tudo nessa minha vida.

Abraço bem dado!
Beijos!

23 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo,.Maria Luiza... E eles mesmo mostrando a finitude de um ciclo enfeitam até se apagarem por completo! Adoro também vê-las assim e reparo mesmo, em tuuuuuuuuuudo,rs...( mas só na natureza. No resto, sou horrorosa. Minhas filhas querem minha cabela quando não lembro se os maridos tem barba ou bigode,rs) bjs, chica e obrigadão! Levei teu link!

Roseli Rosa disse...

Oi Maria Luiza, lindo seu texto, eu também gosto de ver as flores no chão ...no seu último suspiro.
Beijos e um bom dia!

Roselia Bezerra disse...

Olá, querida Luiza
Recebo o seu abraço bem dado e lhe envio outro, amiga...
Também olho bem pro chão pois poderia me perder olhando só pra altura dos olhos ou avistando só o céu...
Tudo é Graça!!!
Bjm quaresmal

pensandoemfamilia disse...

Sim, lembra a finitude, mas também as possibilidades se recriar nem que seja através de um olhar como o seu que vê a beleza das flores que caem.bjs

Renato Ohl disse...

Bela participação!!!!!!
Bjs

Alessandra Santos disse...

Olá!
Tbém observo tudo ao meu redor!!!!
Amo as sutilezas da natureza...
Belo poema!
Um super bjo!

Alê - Bordados e Crochê
Fã Page

JAN disse...

Olá Maria Luísa!
Lindas palavras e linda percepção da finitude... um 'labirinto' COM limites.

Abração
Jan

Anete disse...

Muito bonita sua interpretação, Maria Luiza!
O infinito Amor de Deus traz perfeição até nas flores caídas... Aleluia!

Beijos

Ailime disse...

Boa tarde Maria Luiza, que linda a sua poesia sobre a calçada florida que a Chica fotografou!
Bem verdade até à sua finitude as flores sempre nos encantam mesmo no chão e muitas vezes pisadas!
Quando passo num calçadão assim, passo de lado para não as calcar! Respeito e admiro muito a natureza!
Receba ujm grande abraço e beijinho!
Ailime

Lulú disse...


Olá Maria Luiza.
Eu amo a Natureza e observo com muita pena quando murcha uma flor em meu jardim. E, claro, observo quando passo em uma calçada cheia de flores que despencaram de uma árvore.
Amei seu texto.
Beijos
Maria Luiza (Lulú)

Zilani Célia disse...

OI MARIA LUISA!
TAMBÉM APRECIO AO VER UMA CALÇADA FORRADA DE FLORES, SEI QUE ELAS JÁ CUMPRIRAM SUAS MISSÕES, AGORA JAZEM ALI, PARA QUE NOSSOS OLHOS SE ALEGREM, JÁ QUE A MAIORIA NÃO AS PERCEBERAM ENQUANTO ESTAVAM NA ÁRVORE.
LINDO TEXTO NOS ENLEVANDO E INSTIGANDO.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Bolhinhas de Sabão para Maria disse...

Oi Maria Luiza, nós também somos as que reparam em tudo, principalmente a beleza que brota do cimento frio e duro como as vezes é a vida... E as flores, essas cumprem sua função de alegrar, colorir e dar vida a tudo..

Linda interpretação..

Beijos carinhosos...

Tê e Maria

Neno disse...

Adorei sua participação, Maria Luiza!
Todos estão fazendo esse projeto, bem legal!
Obrigado pela visita!
Bjs do Neno

Lucia x disse...

Maria Luiza,
Eu fico encantada quando vejo as folhas do Outono no chao!! Por aqui sao lindas demais!!!
Adorei o seu texto! Eu tbm oservo!!!
Bjs e uma noite depaz!!!

ania disse...

Oiêe...Maria Luiza...amei sua visita, bom demais ver vc em minhas varandas...obrigada!!! Quanto a sua postagem, eu fiquei maravilhada, que lindo texto vc escreveu...parabéns! Sou também uma observadora da natureza, ela me encanta demais...deixo aqui um poeminha que fiz observando a dança de uma folha...rsrs..

É noite, garoa fina
Desatina...
A visão alucina
Vendo a folha bailarina
Que fascina
Com sua dança, a retina...
Dobro a esquina
Ao longe, a lamparina
Aos poucos ilumina,
Por entre a neblina,
A folha que se inclina
Rumo a sarjeta, sua sina...

Beijos Maria Luiza!!!!

Gracita disse...

Oi Maria Luiza
Mesmo que seja a finitude de um ciclo mostra a beleza esplendorosa de um soberbo tapete floral
Lindo o seu texto e fantástica a sua interpretação
Beijos

Pepi,Xixo,Juja,Jujuba disse...

Maria Luiza querida,
Que lindo texto trouxestes,amiga
Flores me encantam, sempre.
Te desejo um ótimo dia.
Um grande beijinho para tí de
Verena e Bichinhos

Tetê disse...

Que linda e inspirada participação Maria Luiza! Bjks Tetê

Fê blue bird disse...

Maria Luiza, ficou linda a sua participação.
Reparou muito bem na beleza da fotografia.

beijinho

Sonia Tolfo disse...

Essa é a forma certa de viver, olhar de quem vê, das coisas mais simples às mais complexas. Linda participação!
Abraço!
Sonia

Simone Felic disse...

E assim completam seu ciclo nos agradando até o fim.
beijinhos e bom fim de semana.

http://eueminhasplantinhas.blogspot.com.br/

Toninho disse...

Ver poesia onde muitos passam ao largo e muitas vezes apenas reclamam.
Haja sensibilidade minha amiga e um olhar atento.
Bela inspiração/construção.

Lindo fim de semana a voce.
Abraços.

Veronica Kraemer disse...

Malu querida, amei o post e esta imagem maravilhosa!
Amo reparar nestas flores em seu último suspiro, sem pressa, como você!
Beijossssss
Vero